“As crianças podem herdar cárie?”

As cáries são a destruição do tecido dentário por causa de uma infecção, ou seja, são produzidas por bactérias que metabolizam o açúcar dos alimentos e o transformam em ácidos.

Esses ácidos inicialmente desmineralizam o esmalte criando uma mancha branca que posteriormente se torna amarelada e vai penetrando o interior do dente. Finalmente, as cáries podem acabar destruindo por completo um dente, que irá se quebrando em pedaços. Mas, a grande pergunta é: “as cáries podem ser herdadas?

Para que haja cáries é imprescindível que os seguintes fatores estejam convergidos:

– Bactérias.

-Açúcares.

– Tempo de ação dos açúcares (frequência com que se comem alimentos açucarados e eles vão se aderindo ao dente).

– Condições biológicas que aumentam a susceptibilidade às cáries, por exemplo, o uso de medicamento para a asma.

Em resumo, as cáries aparecem quando existe um desequilíbrio entre a desmineralização e a remineralização dentária, entre os fatores de risco e os de proteção (a saliva protege, a escovação protege, o flúor protege).

Uma criança pode herdar cáries dos seus pais?

A criança não herda as cáries. Para que haja cáries tem que haver dente, pois os estreptococos não penetram por dentro da mucosa até alcançar o dente antes que este nasça. Os dentes podem ter defeitos congênitos que os predisponham a ter cáries, mas isso só não produz cáries.

O que se herda são os costumes e hábitos de vida familiar. Se em casa existem produtos para petiscar durante horas, se os pais consomem frutas de maneira ocasional, se as verduras apenas entram em casa se disfarçamos com o ketchup, nessa família haverá mais incidência de cáries do que em outra com hábitos mais saudáveis. Os iogurtes de sabores, os sucos, os cereais de caixa, o pão de forma, as batatas fritas não devem fazer parte da dieta diária, principalmente para crianças menores de 2 anos.

As bactérias das cáries podem contagiar as crianças

Se os pais têm muitas cáries, os filhos provavelmente terão também uma boca problemática. Ter cáries ativas significa ter um número elevado de bactérias produtoras das cáries. Essas bactérias podem ser transmitidas pelo contato direto soprando a comida da criança, limpando a chupeta com saliva contaminada desse tipo concreto de germes, dando beijos na boca do bebê, etc. A recomendação para os pais que não querem que seu filho tenha cáries é, em primeiro lugar, que cuidem bem da saúde bucal dele. Se chegarem poucas bactérias à boca da criança, poderão metabolizar pouco açúcar. Se houver poucas bactérias e pouco açúcar, melhor. E, se protegermos com escovação e pasta de dente com flúor, melhor ainda.

Dizer que as cáries são hereditárias implica que o pai pense que “não pode fazer nada” porque não pode interferir na carga genética do seu filho. Isso está muito distante da realidade. Reduzir ao mínimo os açúcares, ou criar hábitos higiênicos constantes implica em um esforço importante para a família, mas esse esforço trará benefícios para a vida toda da criança.

Irene Iglesias

Odontologia infantil

Renata

<p>ODONTOPEDIATRA</p> <p>Graduação Faculdade de Odontologia do Planalto Central (FOPLAC) Brasília DF – 2010<br /> Especialização Odontopediatria na Faculdade São Leopoldo Mandic (SLM – Campinas)<br /> Pós Graduação: Curso de capacitação em Odontologia intrauterina e da Primeira infância – UNESP<br /> Curso de Odontologia na Primeira Infância-Clínica de bebês – USP São Paulo<br /> Aperfeiçoamento em Endodontia SLM SP<br /> Aperfeiçoamento em Ortodontia e Ortopedia na Clínica de Odontopediatria – SLM SP<br /> Curso Intensivo de Odontologia para Bebês – Universidade Estadual de Londrina UEL<br /> Aspectos Nutricionais no Atendimento Odontopediátrico – USP</p>

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *