Anestesia dentária em crianças e bebês sem medo ou dor

 

Atualizado: 1 de Out de 2019

Porque meu filho precisa de anestesia local para tratar de seus dentes?

Um aspecto primordial para o sucesso do tratamento dentário do paciente infantil é conseguirmos que ele não sinta dor.

As crianças não gostam de parar quietas no mesmo lugar, por natureza . Portanto, o fato de terem que ficar quietas e colaborar com o odontopediatra na cadeira do dentista já é por si um desafio. Agora, imagine se, além disso, houver alguma chance dele sentir dor!?

O receio dos próprios pais de como será a experiência de seus filhos com a “agulha” seguramente afasta a criança do consultório odontopediátrico, e acaba retardando um primeiro atendimento, lamentavelmente. A partir desse artigo, espero que essa má impressão desapareça!

Como fazer com que meu filho não sinta dor durante a anestesia?

Em vários artigos, salientamos a importância da segurança dos pais quanto aos procedimentos no consultório de um odontopediatra.

Para que a criança fique confiante, caso manifeste o receio que você sente quanto ao uso de agulhas, seu filho não terá a menor chance de encarar essa etapa, não é mesmo?

Pessoalmente, sempre achei importante não mostrar a seringa e agulha para a criança. Por isso, utilizo recursos lúdicos para que ela “viaje” para outro mundo, relaxada, e não fique paralisada com o que porventura “poderá acontecer de mal”. Em minha técnica particular, só mostro a agulha quando bem mais tarde, a criança quer saber que bichinho mágico é esse.

A linguagem corporal utilizada pelos pais e profissional, o tom de voz , a distração por meio de cantigas e estórias, o uso de reforço positivo ou recompensa, técnicas de dessensibilização (relaxamento) e modelação (observação do tratamento pacífico de outra criança) são algumas das possibilidades que podem levar a resultados inacreditáveis.

Ainda está aflita, pensando como o profissional fará com que seu filho não sinta dor?

Se esse ainda for seu caso, coloque-se como alguém que irá falar para 4.000 pessoas. Pode parecer assustador, não? E se pensar que vai falar para CADA UMA DAS PESSOAS? Não fica mais tranquilo

No caso da anestesia é a mesma coisa: pense que o profissional irá colocar o anestésico gota a gota.

Primeiro, colocará UMA GOTINHA. SÓ UMA GOTINHA. Uma gotinha, é bem rápido de colocar. E tem técnica para não deixar doer!! Na segunda gotinha, a primeira já terá surtido efeito analgésico, e a criança não sente nada.

O profissional não vai  “enfiar” a agulha em seu filho, mas vai permitir que o tecido “encontre” a agulha. Uma agulha muito fininha, uma pontinha minúscula!

A criança tem que ser anestesiada para termos certeza de não sentirá dor durante qualquer procedimento

em consultório e odontopediatria.

A criança deve ser anestesiada toda vez que houver a mínima chance de sentir dor.