Alimentação e cárie na infância

A cárie dental é considerada a doença crônica mais comum na infância e representa atualmente um problema de saúde pública, independente de nível sócio econômico. Seu diagnóstico deve ser precoce a fim de evitar a evolução da doença e, por esta razão, é de grande importância que o profissional de odontologia seja visitado com frequência.

As causas da cárie são diversas, entretanto, sofre grande contribuição da alimentação e de hábitos de higiene bucal. No âmbito da alimentação o item que mais apresenta associação com a cárie é o açúcar (fonte de sacarose) que serve como “alimento” para as bactérias causadores da cárie. O açúcar está presente em doces, bebidas açucaradas, entre outros alimentos, mas também é comum em xaropes, comprimidos mastigáveis e outros medicamentos.

A proliferação de bactérias causadoras de cárie a partir da presença de açúcar acontece, principalmente, quando o consumo de açúcar não é acompanhado da escovação dos dentes ou seguido de períodos de sono prolongado. Durante o sono o fluxo de saliva diminui, e a saliva tem um efeito protetor sobre a formação de cáries.

No caso das crianças pequenas, o problema pode se tornar ainda mais frequente. É muito comum crianças dormirem com mamadeira, o que resulta em resíduos de sucos, leite e açúcar na boca sem a higiene bucal adequada e somada ao fato de que estes resíduos permanecerão por um período prolongado na boca e com menor fluxo de saliva, um prato cheio para a cárie!

Para evitar que a alimentação contribuia para o desenvolvimento da cárie nos pequenos, aí vão algumas dicas:

– Evite oferecer à criança bebidas com alto teor de açúcar (chás, suco, leite, etc);

– Nas refeições tenha sempre uma fonte de fibras como sobremesa. As frutas oferecidas após as refeições contém fibras que ajudam a remover resíduos alimentares.

– Ofereça água regularmente, ela ajuda a equilibrar o pH da boca e também manter o fluxo de saliva constante;

– Eduque os pequenos para que realizem a escovação e a higiene bucal logo após as refeições;

– Não ofereça doces e outros alimentos industrializados nos intervalos das refeições;

– Não deixe que a criança durma enquanto utiliza mamadeira e melhor ainda, evite-a!

São pequenas mudanças no dia a dia e visitas regulares ao dentista que podem garantir uma dentição saudável desde cedo!

Por Vivian Zollar – Nutricionista

Renata
Renata

ODONTOPEDIATRA Graduação Faculdade de Odontologia do Planalto Central (FOPLAC) Brasília DF – 2010 Especialização Odontopediatria na Faculdade São Leopoldo Mandic (SLM – Campinas) Pós Graduação: Curso de capacitação em Odontologia intrauterina e da Primeira infância – UNESP Curso de Odontologia na Primeira Infância-Clínica de bebês – USP São Paulo Aperfeiçoamento em Endodontia SLM SP Aperfeiçoamento em Ortodontia e Ortopedia na Clínica de Odontopediatria – SLM SP Curso Intensivo de Odontologia para Bebês – Universidade Estadual de Londrina UEL Aspectos Nutricionais no Atendimento Odontopediátrico – USP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *